Paulo Melo nasceu em 1955, em Gabela – Angola – onde a família vivia devido ao trabalho do pai. Era o segundo de três irmãos e quando tinha 5 anos a família regressou a Portugal.

Durante a juventude foi confrontado com o ambiente político-social que precedeu a revolução do 25 de abril de 1974. Era muito sensível aos problemas sociais, tendo o contacto com os bairros mais pobres da cidade de Lisboa provocado nele um grande impacto. Conheceu o movimento dos focolares em 1973, e entendeu que quereria viver a sua vida segundo os princípios da espiritualidade da unidade.

Licenciou-se em Economia pelo ISCTE em 1977, e lecionou várias disciplinas na área dos Métodos Quantitativos, tanto no ISCTE como na Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa. Concluiu o mestrado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa em 1985, tendo colaborado com o Banco Fonsecas & Burnay, e a TMN e os CTT, na área de Marketing e Planeamento até 1997.


Nesse ano parte para África, onde desenvolve diversos projetos de desenvolvimento local (como poços de água e sistemas de aproveitamento de água, em países como Quénia, Uganda, Ruanda, Burundi, Tanzânia e Etiópia. Em 2009 vai para a República Democrátioca do Congo, assumindo o papel de gestor de uma escola, de uma maternade e de clínica oftalmológica. Quem trabalhou com ele fala de uma gestão aberta e uma capacidade notável de inculturação à mentalidade do povo africano, incluindo todos, olhando sempre os mais pobres e deixando um legado impresso na própria estrutura da empresa.

Em 2015 volta para Portugal deixando tudo o que construiu em África e assim poder reimergir na sociedade portuguesa. Acredita desde o início no hub português da EoCIIN  e na primeira experiência de incubação que fizémos o ano passado assiste às apresentações finais e partilha com todos:

“Três palavras que eu ouvia neste momento: sonho, possibilidade (possibilidade de realizar um sonho) e comunhão. Estas são as três ideias que esta rede pode sintetizar.”

Em Agosto passado foi-lhe diagnosticado um cancro que precocemente o afastou de nós a dia 12 de Setembro.

Deste modo, a AEdC, em concordância com a sua família, decidiu chamar ao hub português da Rede Internacional de Incubação de Economia de Comunhão “Incubadora Paulo Melo”.

2017 AEDC Todos os Direitos Reservados - Desenvolvimento: Site Evolution